RADIO CONSELHEIRO FM
Nova Friburgo/RJ
Min. 62°F
Máx. 74°F
Após cirurgia, Azeredo deixa hospital e volta a cumprir pena em batalhão dos bombeiros, em BH
14/09/2018

Azeredo havia saído no início da semana para operar próstata no hospital Mater Dei. Segundo secretaria, ele está bem e não precisa de cuidados especiais. Eduardo Azeredo na quadra do batalhão do Corpo de Bombeiros, em BH. Pedro Ângelo/G1 O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo retornou nesta sexta-feira (14) ao batalhão do Corpo de Bombeiros, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, onde cumpre pena pela condenação no mensalão tucano. Azeredo havia deixado a unidade na terça-feira (11) para realizar uma cirurgia de próstata no Hospital Mater Dei, segundo a Secretaria de Administração Prisional (Seap). Ainda de acordo com a secretaria, ex-governador está bem e não precisa de cuidados especiais, no batalhão. O ex-governador teve a prisão decretada no dia 22 de maio e se entregou um dia depois em uma delegacia da capital mineira. Ele cumpre pena em um espaço de 27 metros quadrados na unidade do Corpo de Bombeiros, onde há uma cama, uma mesa e um banheiro com chuveiro elétrico. Azeredo, que também ocupou os cargos de prefeito de Belo Horizonte, senador e deputado federal, sempre pelo PSDB, foi condenado a 20 anos de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro no processo do mensalão tucano. Mensalão tucano De acordo com a denúncia, o mensalão tucano teria desviado recursos para a campanha eleitoral de Azeredo, que concorria à reeleição ao governo do estado, em 1998. Segundo o Ministério Público, o esquema envolvia a Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig), a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e o Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge) e desviou ao menos R$ 3,5 milhões por meio de supostos patrocínios a três eventos esportivos: o Iron Biker, o Supercross e o Enduro da Independência. Todos os réus negam envolvimento nos crimes. O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo foi condenado em segunda instância em agosto de 2017. Durante o julgamento, o advogado dele, Castellar Guimarães Neto, pediu a absolvição do ex-governador por inexistência de prova suficiente à condenação.
Fonte: G1
21:00 as 21:00
Publicidade
Peça a sua música!
Envie seu Pedido Musical preenchendo todos os dados abaixo:
Atendimento
AVENIDA ROBERTO SILVEIRA 3680/101 - Nova Friburgo/RJ
Ligue agora
(22) 2580-4628
Horário de atendimento
08:00 AS 18:00 HS